#HistóriasDaCEUC | Suiane Alves


Suiane Alves Pereira, tem 21 anos e cursa Engenharia Florestal. Entrou na Universidade em 2017, e em junho do mesmo ano passou a residir na CEUC.


Suiane nasceu em Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba. Quando tinha por volta de 4 anos de idade, sua mãe a abandonou junto com seus três irmãos. Por decorrência disso, Suiane passou a morar de favor na casa da avó junto com seu pai, o qual passava o dia trabalhando para sustentar os quatro filhos. A infância da Sui não foi fácil, ela como única mulher e irmã mais velha, precisou cuidar dos afazeres da casa e ajudar na criação dos irmãos. Desde muito nova ela assumiu um papel que não se atribui a uma criança. Também, sofreu diversos tipos de abusos físicos e psicológicos de pessoas próximas da família, isso deixou sequelas até hoje.


Mesmo na escola pública, ela enfrentava uma realidade diferente das outras crianças, e por isso tinha dificuldades em se relacionar. Mal tinha roupas para ir à escola e sentia na pele o preconceito e racismo por ser negra e ter o cabelo crespo. Aos 14 anos, Suiane começou a trabalhar junto com seu pai, catando papelão nas ruas, “era dali que tirávamos nosso sustento”, comenta Suiane. Apesar de todas as dificuldades, ela nunca parou de estudar e no ensino médio ingressou no Curso Técnico em Meio ambiente. Quando conseguiu o primeiro estágio, seu pai parou de trabalhar com a coleta de papelão e o estágio passou a ser a principal fonte do sustento da família.


Ainda que o município Fazenda Rio Grande se localize próximo a capital paranaense, somente aos 16 anos, por meio do curso técnico, Suiane ouviu falar pela primeira vez da Universidade Federal do Paraná. Segundo ela, em sua escola não se comentava sobre universidades. Com 18 anos, prestou vestibular para Engenharia Florestal na UFPR e foi aprovada graças ao sistema de cotas. Uma grande conquista para si e para toda sua família! A felicidade misturou-se com ansiedade e preocupação, pois o curso é em período integral e na época ela era a principal fonte de renda da família. Seu pai não conseguia emprego devido a problemas de saúde, e seus irmãos começaram a usar drogas. Foi com muita garra que ela tomou a decisão de quebrar o ciclo e ingressar na Universidade.


“Precisava de mudança, resolvi enfrentar aquela situação”, ela disse.

Ainda no estágio, antes das aulas começarem, Suiane descobriu a existência da CEUC. Isso encheu seu coração de alegria. Sabia que precisava entrar na Casa, pois assim, conseguiria estudar e, ao receber os auxílios da Universidade, poderia ajudar sua família. Sui ainda comentou: “Sempre que posso faço taxas para ajudar meu pai”. Na Casa, Suiane conheceu meninas inspiradoras que se tornaram suas amigas e a ajudam a nunca desistir. Ela menciona as companheiras Cíntia, Jociele, Fernanda e Héllen. Catarina, uma das amigas da casa, proporcionou a internação que ajudou um de seus irmãos a deixar o uso de drogas. Os outros irmãos de Suiane também estão tentando se reerguer na medida do possível.


Na faculdade, Suiane é estagiária no Laboratório de Sistemática e Biologia de Formigas da UFPR, e voluntária acadêmica no herbário Escola Floresta, e comenta “sou extremamente apaixonada por dendrologia e pretendo trabalhar nessa área”.


Suiane é uma guerreira e sua história inspira todas nós! Ela é uma das pessoas maravilhosas que fazem parte das histórias da CEUC.